CÂNCER DE PULMÃO

O QUE É O CÂNCER DE PULMÃO?
O câncer de pulmão é uma doença maligna que ocorre principalmente nos fumantes e que leva a alto índice de mortalidade. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) aponta que o câncer de pulmão atinge cerca de 28 mil brasileiros/ano. A maioria ocorre em homens, mas como as mulheres passaram a fumar mais nos últimos anos, a porcentagem entre elas aumentou e hoje cerca de 1/3 dos tumores de pulmão ocorrem nas mulheres.
 
O QUE CAUSA O CÂNCER DE PULMÃO?
O tabagismo é a principal causa do câncer de pulmão, sendo responsável por cerca de 90% dos casos. Essa possibilidade é diretamente relacionada ao maior número de cigarros fumados e ao tempo de tabagismo.
 
O câncer de pulmão não surge repentinamente e sim leva muitos anos para se desenvolver. A fumaça do cigarro possui substâncias irritativas das células dos brônquios e a exposição constante a elas leva a uma alteração nessas células. A partir de determinado momento, uma dessas células se torna maligna e passa a se multiplicar e ocupa o espaço das células normais gradativamente. Esse processo, embora possa ocorrer rapidamente, geralmente leva anos para acontecer.
 
EXISTEM DIFERENTES TIPOS DE CÂNCER DE PULMÃO?
Existem vários tipos de câncer de pulmão, com diferença entre eles com relação à mortalidade e possibilidade de cura. Basicamente distinguem-se dois grupos de tumores malignos: o câncer de “pequenas células” e os denominados “células não pequenas” (epidermóide, adenocarcinoma e o de grandes células).
 
Os tumores de células não pequenas são mais freqüentes e normalmente se disseminam para diferentes partes do corpo mais lentamente do que os tumores de pequenas células (também conhecidos como “oat cell”). Estes últimos se caracterizam por crescimento rápido e grande capacidade de disseminação.
 
QUAIS OS SINTOMAS DO CÂNCER DE PULMÃO?
O câncer de pulmão é uma doença indolente que pode causar sintomas somente quando já está avançado. Por isso a prevenção com a cessação do tabagismo é importante. Entre os vários sintomas estão tosse persistente, cansaço ou falta de ar, dor torácica e pneumonias de repetição. Muitas vezes ocorre a expectoração de sangue ou sangue misturado ao escarro. Perda de apetite e emagrecimento também pode acontecer.
 
COMO SE DIAGNOSTICA O CÂNCER DE PULMÃO?
A radiografia e a tomografia de tórax são os exames iniciais que irão localizar alterações no pulmão suspeitas de câncer. Após isso, a broncoscopia é o principal exame a ser realizado para se tentar alcançar o tumor e se realizar uma biópsia, que poderá confirmar o diagnóstico.
 
Existem outras maneiras de obtenção de biópsia caso a broncoscopia não consiga alcançar o tumor, tais como uma punção através da parede torácica, entre as costelas, ou mesmo cirurgia.
 
É importante também se realizar exames para se verificar se o câncer está localizado, o que possui maiores chances de cura, ou se já está disseminado para outras partes do corpo (as chamadas metástases). Este processo de vários exames onde se inclui tomografia de crânio e abdominal, mapeamento dos ossos e, mais modernamente, o PET-Scan, chama-se estadiamento da doença.  
 
QUAL O TRATAMENTO DO CÂNCER DE PULMÃO?   
O câncer de pulmão possui três tipos de tratamento: cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Para cada caso, e de acordo com o estadiamento da doença e a condição clínica do paciente, é escolhido um desses tratamentos ou a combinação deles.
 
O FUMANTE PASSIVO TAMBÉM PODE TER CÂNCER DE PULMÃO?
O fumante passivo também apresenta maior risco de desenvolver câncer de pulmão. Entre o percentual de pessoas que nunca fumaram e apresentam câncer de pulmão, a maioria se constitui de fumantes passivos. Pesquisas já comprovaram que mulheres que nunca fumaram e convivem com maridos fumantes apresentam maior número de câncer de pulmão que aquelas que convivem com homens não fumantes.
 
Outras causas para o câncer de pulmão são a inalação de substâncias radioativas como o radônio (gás radioativo do solo) ou o asbesto (amianto). Quando a exposição a uma substância que pode causar câncer se soma ao tabagismo, o risco se multiplica.
 
SE EU PARAR DE FUMAR NÃO TEREI CÂNCER DE PULMÃO?
A única prevenção ao câncer de pulmão é o afastamento do contato com as substâncias potencialmente cancerígenas. A melhor forma de isso ocorrer é com a cessação do tabagismo. O risco de câncer de pulmão diminui a cada ano sem fumar à medida que as células normais substituem as células que foram afetadas pelo fumo. Depois de 20 anos, o risco para câncer de pulmão do ex-fumante é o mesmo que uma pessoa que não fumou. A cessação do tabagismo também reduz o risco de se desenvolver outras doenças como DPOC, infarto agudo do miocárdio, AVC (derrame cerebral), entre outras.
Compartilhar:

CONTATOS

HIGIENÓPOLIS
Rua Conselheiro Brotero, 1539 - Cont. 111

Telefones: 55 (11) 3661-1740 / 3667-1017

SANTANA
Rua Dr. Zuquim, 449 - conj. 74

Telefones: 55 (11) 2973-2440 / 2283-0037

Marque sua consulta

Tira Dúvidas

Inaladores"

Tabagismo"