1-O QUE É A APNEIA DO SONO

O QUE É A APNEIA DO SONO?
Apneia significa "parada da respiração". Apneia do Sono é uma doença onde o indivíduo tem paradas repetidas da respiração (apneias) durante o tempo em que está dormindo e ele não percebe isso. Como consequência, o sono fica constantemente interrompido, não atinge o grau de profundidade necessário para um repouso satisfatório e a pessoa passa a maior parte do dia seguinte cansada, com fadiga e sonolenta. Essas paradas de respiração trazem repercussões em todo o organismo.
 
Obstrução das vias aéreas durante o sono.O QUE CAUSA A APNEIA DO SONO?

A Apneia do Sono pode ter uma causa obstrutiva e uma causa originada no sistema nervoso central. As apneias de causa obstrutiva são ocorrem por interrupções da passagem do ar pela garganta de pelo menos 10 segundos de duração. Quando ocorrem mais do que cinco apnéias por hora de sono dizemos que o indivíduo é portador da Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono, conhecida pela sigla SAOS. Quando a Apneia do Sono é causada por um descontrole no sistema nervoso central, o que é menos frequente, esse tipo de doença é chamado de Apneia do Sono Central.

A SAOS pode ser provocada por:
  • Aumento do peso (causa mais comum nos adultos), o que provoca fechamento da garganta durante o sono. Os músculos da garganta e língua relaxam mais do que o normal e isso tende a se agravar com a idade.
  • Alterações do formato da cabeça e pescoço que reduzem o espaço para passagem de ar pela boca e pela garganta. Pessoas com retrognatia ou micrognatia (queixo pequeno), macroglossia (língua grande) têm maior tendência a isso.
  • Amígdalas e adenóides grandes são causa comuns de apnéia do sono na criança.
 
O QUE O RONCO TEM A VER COM A APNEIA?
O ronco é o ruído causado pela vibração do ar durante sua passagem através das estruturas das vias aéreas superiores (boca, palato, úvula, amígdalas, adenóides, etc.). O ronco afeta 30% da população adulta e é causado pelo relaxamento dos músculos da faringe durante o sono, o que estreita essa região. Quando o estreitamento é suficiente para obstruir parcialmente a faringe, o fluxo do ar ocorrerá com dificuldade e isso provoca uma vibração das partes moles da garganta e isso gera o ruído. Como as apneias durante o sono são causadas pelas obstruções transitórias da passagem do ar pela garganta, há uma relação muito grande entre o ronco e a Apneia do Sono.
 
A APNEIA DO SONO É MUITO FREQUENTE?
Estima-se que cerca de 4% das mulheres e 9% dos homens adultos sofram de Apneia do Sono. Essa prevalência é maior entre os obesos e maiores de 35 anos. No entanto, acredita-se que cerca de 90% dos indivíduos que possuem Apneia do Sono ainda não possuem o diagnóstico ou sequer foram alertados pelo seu médico para a possibilidade de sofrerem desta doença. Um estudo realizado na cidade de São Paulo demonstrou que 32,8% da população geral tem Apneia do Sono. 
Pessoas que possuem Apneia do Sono têm maior risco de causar acidentes de trânsito e de trabalho. Vários estudos demonstram que o número de acidentes de trânsito em pacientes com SAOS é duas a três vezes maior em comparação à população normal. Os acidentes ocorrem com maior frequência nesses pacientes porque eles possuem maior tendência para "cochilos" involuntários durante o dia. Em estudo na cidade de São Paulo, 26% dos motoristas de caminhão apresentaram um alto risco de ter apneia do sono e a maioria admitiu que já tinha cochilado no volante.
 
QUAIS OS SINTOMAS DA APNEIA DO SONO?
A pessoa com Apnéia do Sono raramente percebe que tem dificuldade para respirar durante o sono e por isso a doença passa despercebida durante muito tempo. Em muitos casos, a suspeita da doença ocorre porque outras pessoas observam os episódios de apneia ou ronco durante o sono. Vários sintomas podem ser observados em quem tem Apneia do Sono, sendo os principais:
  • Ronco alto e interrompido
  • Sono agitado e pesadelos
  • Acordar frequentemente e levantar para urinar à noite com frequência
  • Acordar cansado.
  • Sonolência excessiva durante o dia
  • Engasgos noturnos
  • Fadiga crônica
  • Dor de cabeça pela manhã
  • Irritabilidade
  • Apatia
  • Depressão
  • Dificuldade de concentração
  • Perda de memória
  • Impotência sexual
 
QUAIS AS CONSEQUENCIAS DA APNEIA DO SONO?
As paradas respiratórias causam uma baixa oxigenação do sangue e, consequentemente, de todo o organismo. Isso leva a danos principalmente ao coração, à circulação e ao sistema nervoso central. Após cada microdespertar (e isso não é percebido pelo doente) ocorre também uma descarga aguda de hormônios como adrenalina e outros que, aliados à queda da oxigenação sanguínea, pode desencadear arritmias cardíacas, infarto do miocárdio e acidentes vasculares cerebrais (AVC) durante o sono.

Além disso, a apneia do sono está envolvida com o agravamento de uma série de outras doenças, tais como a Doença do Refluxo Gastresofágico, Hipertensão Arterial, Diabetes e a DPOC. A Apneia também leva a um maior risco de pneumonias.

Saiba mais sobre a DPOC em nosso site, clique aqui.


Saiba mais sobre o Refluxo Gastresofágico em nosso site, clique aqui.
 
APNÉIA DO SONO LEVA A MAIOR RISCO DE MORTE POR DOENÇA CARDÍACA?
Os homens com Apneia do Sono grave (mais que 30 episódios por hora) apresentam maior risco de infarto e falência cardíaca. Estudo da Universidade de Boston demonstrou que a cada aumento de 10 unidades no índice de apneia, o risco de falência cardíaca aumenta 13%. Esses riscos são menores nas mulheres e para aqueles com índice de apnéia abaixo de 5/hora. (Fonte: Gottlieb DJ et al. Prospective Study of Obstructive Sleep Apnea and Incident Coronary Heart Disease and Heart Failure. The Sleep Heart Health Study. Circulation. 2010).
 
QUAL A RELAÇÃO ENTRE APNEIA DO SONO E OBESIDADE?
A SAOS é mais comum em pessoas com obesidade e pessoas que sofrem de Apneia do Sono possuem um ganho adicional de peso ou maior dificuldade em perder peso devido a vários fatores. Um dos motivos é que pessoas com apneia tem menor disposição para realizar atividades físicas. Na SAOS também há várias alterações nos hormônios na circulação que favorecem ao acúmulo de gorduras no organismo, tais como:
  • aumento da resistência à insulina, o que faz com que os açúcares ingeridos permaneçam mais tempo na circulação sanguínea e sejam transformados em depósitos de gordura.
  • aumenta a resistência do corpo a um hormônio chamado leptina, que é responsável por regular a fome e o apetite. Isso leva a uma dificuldade em controlar o apetite, principalmente por doces.
  • eleva os níveis de grelina, hormônio que aumenta o apetite.
 
POR QUE A APNEIA PROVOCA MAIS PNEUMONIAS?
A Apneia do sono aumenta o risco de pneumonia em adultos e esse risco é maior conforme aumenta a gravidade da apneia. Um estudo observou 6816 pacientes por 4,5 anos e os comparou com 27.284 indivíduos sem a doença. Houve um risco 1,2 vezes maior de pneumonia entre pacientes com Apneia do Sono que em indivíduos sem apneia. A maior ocorrência de pneumonia em SAOS provavelmente se deve ao maior risco de aspiração para o pulmão de conteúdo da faringe durante o sono associado a possível alteração da imunidade devido ao sono interrompido. (FONTE: CMAJ March 3, 2014).

Saiba mais sobre as Pneumonias em nosso site, clique aqui.

 
REFLUXO E BRUXISMO (RANGER OS DENTES) SÃO COMUNS EM PESSOAS COM APNÉIA DO SONO?
Estudo realizado pelo Baylor College of Medicine, nos EUA, demonstrou que há alta prevalência de bruxismo e de refluxo gastroesofágico entre os pacientes com apneia obstrutiva do sono. O levantamento indicou que cerca de um em cada quatro pacientes com apneia sofre de bruxismo – condição marcada pelo "ranger de dentes noturno" e que afeta cerca de 8% da população americana –, e que 35% deles têm refluxo.

Segundo o pesquisador Shyam Subramanian, líder do estudo, no final de uma apneia podem ocorrer numerosos fenômenos na boca, como ronco, respiração ofegante, resmungos e ranger de dentes. Homens, tipicamente, têm apneia do sono mais grave, o que poderia explicar maior prevalência de ranger de dentes no sexo masculino. Além disso, os homens tendem a relatar mais sintomas de apneia do que as mulheres, como roncos, grunhidos e apneia presenciada.
Outros fatores que poderiam explicar a relação entre apneia e bruxismo seriam a ansiedade e o consumo de cafeína. Altos níveis de ansiedade podem levar ao bruxismo e a Apneia do Sono não-tratada é uma causa de distúrbios de humor, incluindo depressão e ansiedade. Além disso, segundo o pesquisador, "a sonolência diurna da apneia do sono pode fazer com que uma pessoa tome mais cafeína durante o dia, e isso está também associado com alto risco de bruxismo".
 



Saiba mais sobre a história da Apneia do Sono e a relação dessa doença com o escritor Charles Dickens lendo nosso texto “De Fat Boy Joe à leptina: uma aventura digna do Sr. Pickwick.”

Compartilhar:

CONTATOS

HIGIENÓPOLIS
Rua Conselheiro Brotero, 1539 - Cont. 111

Telefones: 55 (11) 3661-1740 / 3667-1017

SANTANA
Rua Dr. Zuquim, 449 - conj. 74

Telefones: 55 (11) 2973-2440 / 2283-0037

Marque sua consulta

Tira Dúvidas

Inaladores"

Tabagismo"