MEDICAMENTOS PARA TRATAMENTO DO TABAGISMO

QUAIS OS CRITÉRIOS PARA SE UTILIZAR MEDICAMENTOS PARA O TRATAMENTO DO TABAGISMO?
 
Existem medicamentos indicados para o tratamento do tabagismo e cuja prescrição deve ser individualizada a cada pessoa. Genericamente estes medicamentos se distribuem em três grupos: terapia de reposição de nicotina (TRN), antidepressivos (bupropiona) e agonistas de receptores de nicotina (vareniclina). 
Para a prescrição de medicação, o Ministério da Saúde e o INCA recomendam que o indivíduo se enquadre em pelo menos uma das categorias abaixo:
  • fumantes, com história de 20 ou mais cigarros ao dia;
  • fumantes de mais de 10 cigarros ao dia no mínimo, mas que fumam o 1º cigarro até 30 minutos após acordar;
  • fumantes com escore de Fageström igual ou maior que 5, ou avaliação individual, a critério do profissional;
  • fumantes que já tentaram parar de fumar anteriormente apenas com a abordagem cognitivo-comportamental, mas não obtiveram êxito devido aos sintomas da síndrome de abstinência;
  • não haver contra-indicações clinicas (condição obrigatória).
O QUE É TERAPÊUTICA DE REPOSIÇÃO DA NICOTINA (TRN)?
TRN é aquela que tem por objetivo diminuir o quadro da síndrome de abstinência através da administração da própria nicotina ao fumante, reduzindo-se a dose progressivamente. Estão disponíveis no Brasil os adesivos de nicotina e as gomas de mascar com nicotina.

COMO SE USA A TRN?
Há dois modos para se repor a nicotina, o adesivo transcutâneo e a goma de mascar. Qualquer uma destas formas, apesar de serem vendidas livremente nas farmácias, deve ser usada após indicação por profissional devido à possibilidade de efeitos colaterais caso seja adotada uma dosagem errada para o grau de dependência do fumante.
 
Adesivo transcutâneo: os adesivos do mercado contêm 21, 14 ou 7 mg de nicotina. Eles são colocados sobre a pele uma vez ao dia e liberam a nicotina lenta e constantemente durante as 24 horas. Ao contrário do cigarro, que promove um pico de alta concentração de nicotina no sangue e no cérebro, a concentração nicotina pelo adesivo sobe menos rapidamente e se mantém estável durante o dia;
Goma de mascar: a goma é apresentada na forma de chicletes mastigáveis, tendo como componente ativo 2 mg de nicotina na forma de resinato. A concentração de nicotina no sangue por uso de goma de mascar é mais baixa que a do adesivo e o seu pico é alcançado em um tempo mais longo que o do adesivo. A absorção é diminuída com bebidas e café.

A TRN deve ser utilizada para abrandar os sintomas da síndrome de abstinência. O sucesso desta forma de tratamento aumenta com aconselhamento e acompanhamento por um profissional com experiência na área cognitivo-comportamental (terapia psicológica).

COMO DEVE SER USADA A GOMA DE MASCAR DE NICOTINA? 
O chiclete deve ser mastigado até que ele sinta um gosto amargo de nicotina ou formigamento na boca. Neste momento a nicotina está sendo liberada e o fumante deve parar de mastigar e deixar o chiclete entre a gengiva e a bochecha. No momento em que o sabor ou o formigamento desaparece, ele deve voltar a mastigar o tablete até sentir o mesmo efeito. Este procedimento deve-se repetir por 25-30 minutos. É importante deixar o chiclete repousando entre a gengiva e a bochecha pois é desta forma que a nicotina é melhor absorvida. O que for deglutido não realizará o mesmo efeito. Um chiclete pode ser utilizado de acordo com a necessidade, até um máximo sugerido de 16/dia. O uso deve ser decrescente ao longo de três meses.
 
COMO DEVE SER UTILIZADO O ADESIVO TRANSCUTÂNEO DE NICOTINA?
O adesivo é colocado diariamente, pela manhã, e trocado a cada 24 horas. Deve ser aplicado em uma região do corpo sem pêlos, para que possa ficar bem aderido e o local deve ser trocado a cada dia para evitar irritação cutânea. O efeito adverso mais comum é o prurido local, que é freqüente nos primeiros dias e tende a se abrandar e desaparecer logo após as primeiras aplicações. O fumante não deve fumar durante o uso do adesivo para não ocorrer superconcentração de nicotina no sangue. 
Habitualmente se inicia com adesivo de concentração mais alta e se substitui por adesivo com concentração abaixo a cada quatro semanas. O tratamento deve dura, em média, doze semanas.
 
Convém relembrar que qualquer forma de TRN deve ser usada após indicação por profissional devido à possibilidade de efeitos colaterais caso seja adotada uma dosagem errada para o grau de dependência do fumante.

COMO FUNCIONA A BUPROPIONA?
A bupropiona foi desenvolvida como um medicamento antidepressivo, mas ao longo do tempo constatou-se que as pessoas que faziam uso dela diminuíam a vontade de fumar. Atualmente, a sua indicação é para o tratamento do tabagismo.
A bupropiona age elevando a concentração de uma substância chamada dopamina no cérebro, diminuindo assim a vontade de fumar e os sintomas da síndrome da abstinência.
 
EXISTE CONTRA-INDICAÇÃO PARA O USO DA BUPROPIONA?
A bupropiona está indicada para fumantes acima de 18 anos. Ela está contra-indicada em pacientes que têm história de convulsão, doenças cerebrovasculares, tumor do sistema nervoso central, convulsão febril na infância, alcoólatra em fase de retirada do álcool, anorexia nervosa e bulimia. Deve-se ter maior rigor no controle da pressão arterial em indivíduos hipertensos devido ao maior risco de elevação.
 
 
COMO AGE A VARENICLINA?
A vareniclina é um agonista parcial de receptores colinérgicos localizados no sistema nervoso central (SNC), promovendo a liberação de dopamina semelhante à provocada pela nicotina. Isso reduz a fissura e os sintomas da abstinência. Adicionalmente, a vareniclina compete com a nicotina e bloqueia a sua ação sobre esses receptores colinérgicos; consequentemente o cigarro deixa de provocar a sensação de prazer.
VOLTAR
Compartilhar:

CONTATOS

HIGIENÓPOLIS
Rua Conselheiro Brotero, 1539 - Cont. 111

Telefones: 55 (11) 3661-1740 / 3667-1017

SANTANA
Rua Dr. Zuquim, 449 - conj. 74

Telefones: 55 (11) 2973-2440 / 2283-0037

Marque sua consulta

Tira Dúvidas

Inaladores"

Tabagismo"